10 fevereiro 2008

Hoje, chorei...

Foto de Paulo César

Hoje chorei, junto aos restos mortais do meu pai.
Porque a luta nos deixa marcas profundas,
sofremos golpes que nos atingem sem piedade.
Ninguém imagina o caminho por onde a vida vai.
Subimos ao céu ou descemos às catacumbas.
Não tem paz o guerreiro, em nenhuma idade.

Hoje chorei, junto aos restos mortais
de uma relação de sangue atraiçoada
pela loucura de um egoísmo sem fim.
Sou corpo nu exposto aos vendavais,
esperando salvar a alma atribulada,
que decidiu jamais voltar para mim.

Hoje chorei, só, no chão do cemitério
de todas as dores que me apoquentam,
ouvindo andorinhas de Primavera…
Quisera ver, mas fora cego, o mistério
de comandar os que se enfrentam,
e querem renascer, mas noutra era…

Hoje, chorei…

32 comentários:

Blueshell disse...

Chorar entes queridos que partiram e deixam em nós marcas profundas, o corpo nu, desprotegido, a alma dorida...sim, sei como é...

Um beijo amigo

Sandra Daniela disse...

A dor de perder entre queridos, Conheço-a.. Dói.. As lágrimas fazem parte dessa dor, que não desaparece, mas atenua aos poucos... Essa dor que leva um pouco de nós...

Fica Bem ...

un dress disse...

ainda bem que choraste meu querido daniel!!

dizer a dor fazê-la lágrimas e partilhar!

sabes bem quanto ajuda a nós e aos outros essa partilha...

pela minha perte, obigada!!


abraÇo.beijO ~~

Cymbron disse...

Poderia ter chorado contigo também... e não amigo, não estou grávida no verdadeiro sentido, mas nascerá novo amor brevemente, espero.

Jinho, saudades das trocas de outros tempos.

Daniel Aladiah disse...

Meus amigos e amigas
Uma nota: o meu pai faleceu há 7 anos. Realmente o primeiro verso pode ser interpretado como se o acontecimento fosse agora. Não, o tema é outro... mas, como sempre, cada um será livre de ler o que desejar, para isso se escreve :)
Beijos e abraços
Daniel

poeta_silente disse...

Pois, Daniel. MInha interpretação foi correta, então. Pois eu estava entrando aqui para dizer que há dias em que eu posso recitar palavra a palavra deste teu poema. E meu pai se foi há 31 anos.
Assim... eu era jovem... muito jovem.
Como te entendo...como entendo este teu poema. Mas, para saberes que eu entendo, eu precisaria contar a sua história de vida... que foi triste. E não cabe aqui.
Deus te abençoe. E que cuide dos nossos entes queridos que estão aos Seus cuidados.
Bjos
Miriam

Miosotis disse...

As mágoas permanecem, os lutos reaparecem, muitas vezes, ao mínimo'sinal'...

... e depois há momentos que precisamos mesmo chorar, chorar por nós, pelos que amámos, pelos que nos amaram, pelos tempos que vivemos, pelos que nos cruzam e deixam seu último alento...

Um beijo

fátima queiroz disse...

Olá, Daniel
Sei bem o que é isto e como dói...
Obrigada pela visita, querido

Um beijo

Vera disse...

Passe quanto tempo passe... as saudades e a memória não permitem que se esqueça nem que se apague a dor... e chorar faz bem, lava a alma!

Beijo

Anjo De Cor disse...

A saudade fica sem dúvida, é um momento muito dificil perder alguém que gostamos ;D
Força!
Bjs
SS

Luana disse...

por vezes custa chorar e passam-se muitas luas até que as lágrimas brotem da alma com sentimento...

triste mas um verdadeiro sentir...

um beijo doce

andorinha disse...

Sendo hoje ou sendo ontem... que interessa?
As palavras podem ser lidas de muitas maneiras. As lágrimas, essas, são , por vezes, um caminho para a paz.
Um beijo, Daniel.

Elsa disse...

... um beijo Daniel.

paula disse...

Perante as tuas palavras , o quase silêncio . Parece que te escuto , parece que sinto a tua angustia e tristeza .
Por mais tempo que passe, existem pessoas que nos faltarão para sempre .
Um beijo com carinho , Daniel .
Paula

Vanda disse...

Tanta dor...
Um beijo,
Vanda

Anónimo disse...

Olá Daniel, muito bom o texto que fala de uma dor que munca acaba. A morte, a saudade, a alegria, o amor, são matérias-prima para a escritura. Muitos acham que o que dá sentido a vida é a multiplicação do conflito, principalmente para o escritor, rs, que de tanto silenciar aprende a ver em excesso e chora, sofre e encanta. É isso aí meu caro escritor.
Um beijo da Anne.
http://www.anne_voce.blogger.com.br

Maria Clarinda disse...

Hoje chorei...
sim, eu também ao ler este teu poema maravilhoso, de dor...de saudade...de tanto mais que se lê nas entrelinhas...
Jinhos mil

Ana Luar disse...

E fizeste-me chorar a mim por todas as lágrimas que julguei extintas na saudade da minha mãe.

Um beijo doce meu doce Daniel.

Vampiria disse...

Daniel, um grande abraço... nestas alturas o silêncio e um abraço sao a melhor solução.
Vou te enviar um mail, se me puderes dar informaçoes, agradeço te. Um beijo, agora, mais presente. :))

Irene disse...

As lágrimas pacificam e exorcizam medos... Chorar também é coragem!

teetee disse...

Lágrimas e palavras.. Têm um sentido para quem as verte.. outros terão para quem as lê e acolhe..

Um abracinho,

tee

multiolhares disse...

Choramos por quem amamos
E pelo desconhecido que enfrentamos

Beijinhos
luna

Ana disse...

Só os fortes sabem chorar e admiti-lo.
Aqui encontrei o guerreiro que és.
Um abraço com amizade, Daniel.

Su disse...

hoje chorei...também..........

jocas maradas..sempre

Leonor disse...

ola daniel.
o guerreiro nunca tem paz.
e no entanto é o que mais anseia.
beijinhos

Adryka disse...

Não sei se me dirijo a amiga ou amigo, sei apenas que desde sempre te respeitei e gostei muito de tudo o que escreves.
Chorar juntos dos restos daqueles que já se foram é uma constante, dos seres vivos com sentimentos.
Quantas e quantas vezes eu nõa tenho feito o mesmo ao pé da tumba dos meus. Está muito belo o poema mesmo que a falar de sentimentos que faz doer. Beijinhos

Eli disse...

Só chora quem tem a capacidade de sentir...

:)

JRL disse...

se choraste, lavaste a alma. um beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

Hoje chorei.

Um poema em forma de homenagem à morte, neste caso a do teu pai.

Mais não digo. Hoje chorei!

JASC disse...

Olá Irmão, quantos momentos desses também já tive. Com te compreendo... o poema é sublime. O Pai era uma pessoas muito especial, e tocava-nos...na alma. As suas palavras tinham saber, e no meio da dor, davam-nos a paz que tantas vezes necessitamos. Hoje chorei..., e sabes que não estás só. Aquele Abraço.

Anónimo disse...

Não o local, mas sim a pessoa, muito nos guia ainda hoje e sempre. è nos momentos de fraqueza que se vê a verdadeira força do guerreiro, pois, dificil não é cair, mas sim saber levantar-se e seguir em frente ainda mais motivado. A verdadeira força está connosco, e a nossa caminhada, é como a vida sempre em frente.
Abraço, do sempre...

Micas disse...

Como eu sinto cada uma das tuas palavras...