08 fevereiro 2009

A chamada

Foto de Raul Alexandre
Na imensidão do marasmo irromperá a transformação...


Reinterpretação, reencarnação, evolução…
A carta da morte, o sentido da mudança.
A certeza optimista de voar para sempre.

Talvez precise de um novo instrumento,
para que consiga imprimir um novo cunho,
que deixe a marca da minha individualidade.

Há vozes que ninguém ouve no império…
E discípulos que não foram ainda enviados.
As estradas estão em construção, fechadas.

A memória mais antiga vem de Roma.
Mas nas areias, junto ao Nilo, padeci.
Os ciclos da alma, nesta baixa dimensão.

E quando tudo parece estar em crise,
sabemos que a oportunidade se apresenta,
para a aurora mais radiosa dos tempos…

26 comentários:

mundo azul disse...

_________________________________

...e assim iremos, até que toda a lição seja aprendida!

Um poema profundo e reflexivo... Muito bonito!

Beijos de luz e o meu sincero carinho...

_________________________________

Esyath disse...

Daniel,

também... a partir de uma transformação... podemos padecer na dor do arrependimento... já viu algo doer mais que perceber que errou a vida inteira? Mas não dizem que sempre há tempo de nos salvarmos? Mas... quando será tarde demais?

Beijos (Des)conexos!
www.historiasdesconexas.blogspot.com

Rosa disse...

Esperemos que assim seja!

TMara disse...

por detrá da obscuridade dos factos existe uma realidade luminosa sim.
Bs
Luz e paz

andorinha disse...

"A certeza optimista de voar para sempre", mudando de rumo por vezes, evoluindo para novos espaços. Até que chegue essa aurora radiosa.
Um beijo, Daniel.

Beatriz disse...

Daniel, após um prolongado período de ausência, estou de volta! Não mais no CARTAS, que tive de encerrar por haver perdido o sentido para o qual foi criado, mas num outro espaço onde volto a falar das coisas do coração e no qual espero continuar merecendo o prazer de tua visita: http://meirelesbeatriz.blogs.sapo.pt

O teu blog continua a nos encantar a alma com a beleza e sinceridade dos textos e poemas.

Parabéns pelos 4 aninhos do blog. Que muitos anos mais sejam acrescidos a estes, para que nossos olhares continuem a se iluminar na riqueza das tuas postagens.

Gostei de saber dos teus 8 sonhos. Uma preciosidade de intenções.

Deixo aqui meu carinho num beijo afetuoso.

Eli disse...

Sabes uma coisa?!

Tenho pena de não poder ler todas estas palavras com qualidade, que inspiram e têm a capacidade de nos fazer escrever!

:)

© Piedade Araújo Sol disse...

e assim será!

esperança sempre fica.

bonito o poema.

sabes qua ainda nao te tinha dito, mas adoro a música que tens em fundo.

beij

impulsos disse...

Daniel
A tua fé é quem te move e te inspira em cada momento que te transformas em poesia...
Ler-te é uma benção que nos faz tão bem à alma!

Prossigamos então, os nossos destinos.

Beijo

Eli disse...

Queria dizer que não tenho tempo para absorver o que se passa aqui!...

:)

Percebeste?!

CelyLua - O blog das Letras disse...

Querido Daniel,

Olá meu anjo, vim agradecer tua visita e comentário. Muito obrigada e volte sempre!
Texto repleto de essência...Muito belo tua inspiração. Parabéns Daniel!

Beijos,
CelyLua.

Betty Branco Martins disse...

._____querido Daniel



"olhei bem
prestei atenção
vi o sistema solar
- o Big-bang!
o universo em expansão
viajei pelas órbitas dos cometas
questionei o rito dos planetas
aveguei pelo espaço-tempo
Luz - som - mundo desconhecido

explorei nosso passado
a vida e sua relação esotérica
ganhei a palavra sagrada
sinais - magia - cabala e simbologia
todos os mistérios e a ritualística periférica

conheci o saber - o verbo - o princípio e a fé
viajei pelas águas sagradas
senti a pureza da terra - do fogo e do ar

realizei as viagens simbólicas -
livre - seminu - sem conseguir ver
segui com coragem a beleza que nos conduz
e descobri o valor da confiança -
a descoberta – divina luz

olhei bem,
prestei atenção -
vi a Abóbada Celeste
em seus detalhes
encontrei a harmonia inconteste
do Grande Arquiteto do Universo
e sua lei universal -
que revigora - encanta e se espalha
pelas entranhas e profundezas
da minha alma
que esclarece os mistérios
e a verdade fundamental"____...




____________///



.____sei que me entendes








beijO_____ternO

Light disse...

"Poesia não é
Isto que escrevo
Rima não tem
Forma ainda menos
Apenas os lamentos
Que a alma solta
Neste esperar ter
E não ter nunca
Nada que me anime ou
Tudo que sonho
Algo que abale
Este marasmo eterno
De emoções recalcadas
Dias perdidos e
Amores não vividos
São linhas pequenas
Feitas de lamentos
Pontuadas de choros..."

Obrigada por me leres sempre,embora eu apareca esporadicamente,visitas-me sempre,obrigada pela companhia querido Daniel!!!
Beijo

Ana disse...

Memórias de outros ciclos que nos trazem o sentido da mudança.

...mas as tuas palavras e a música que as acompanha são inconfundíveis, Daniel.
Um beijo com amizade.

Jean disse...

belo!!!!

Arabica disse...

Daniel,

a carta da morte saiu-me em sorte há já muito tempo, mais de 10 anos decerto...explicaram-me que todo o "meu mundo" ruiria e que eu teria nas minhas mãos, a tarefa de o reconstruir...

Assim tem sido, muitas estradas sem saída, muitos poentes de contemplação, muitas buscas e muitas respostas...

Olhando hoje para trás, quase vejo meus passos entre areias e pedras, penhascos e lagoas...

Nas mãos, apenas a esperança era ferramenta de trabalho que me impedia o cansaço...

Desculpa o comentário tão pessoal. Prometo não repetir :)


Lá no pequenas doses de que Carnaval falavas?

Beijo, uma boa semana

Paola Vannucci disse...

Aladiah,

adoro muito vir aqui te ler, rsrsrs

meu querido mandei um email pra vc e no seu email, por favor confirme sua resposta

beijinhos Paola

♥≈Nღdir≈♥ disse...

Pudera eu transformar...
Transformaria tudo o que me entristece em alegria...
Agradeço-te as visitas e o carinho
Bj

Sininho disse...

"Talvez precise de um novo instrumento..."

Talvez precise mesmo! orbigada por partilhar seu cantinho comigo =D

Um beijo eterno*

Cassiopeia disse...

Meu querido Daniel,
Felizmente que o teu marasmo não é nada aborrecido. Talvez o truque seja mesmo esse.
Grande beijinho

Mariz disse...

Querido amigo Daniel

perdoa só agora vir até cá...foi um período de impaciência aquela, não poder escrever, colocar imagens ou retirar o que pudesse impecilhar o rolar da página. Penso que fosse do servidor....não sei até hoje o que realmente aconteceu...fases!
A seguir quase todos os electrodomésticos pifaram...
presentemente a minha mãe já está num local onde melhor possam tomar conta dela porque sózinha era impossível...nem sabes como me sinto..estou no chão..e não pelo apego, mas sim pela impotência, e como filha única não poder já, tratar dela. Os meus 2 filhos...também não...esses então estão empregados e a mais nova em o Diogo com quase 2 meses. tive de me socorrer de estranhos - facto que sempre disse nunca acontecer.
Nunca se pode dizer ...nunca.
Não sei quando este tsunami me aliviará...
amei esse teu poema, está tudo tão bem definido...colocado no sentimento e no lugar certos.
Que a transformação acelerada pelos ventos de mudança tragam algum alívio ás almas que tentam saber sê-lo.

Gosto das tuas palavras...do teu jeito de anjo como é Aladiah

Abraço de sempre,
Mariz

Arabica disse...

Sem serpentinas mas com gatos aqui te deixo os votos de um bom fim de semana.

Beijos

Beatriz disse...

Sem nova postagem para apreciar, fica meu beijo no desejo de horas lindas a enfeitar os teus dias.

Carla disse...

porque a história repete-se e só não aprendemos se não quisermos. Gostei muito de ler

Mariz disse...

Amigo
Voltei para te dizer que tens na sala dos "òscares" algo para ti. Sei que não exibirás, mas de qualquer maneira queria muito oferecer-te.
Basta entrares no "sou pó e luz" e na faixa da direita encontrarás uma imagem dos òscares verdadeiros. Clikas e vais lá ter.
Abraço meu

Sempre,
Mariz

Sandra Daniela disse...

Que ouçamos as mais belas vozes do império, e seguremos a esperança nas mãos, para enfrentar os tempos de crise...E que essa aurora radiosa chegue...

Beijinho grande