29 março 2009

Pedras vivas


Foto de Nuno Miguel Rosa
Todos aprendemos alguma vez.
As searas começam nas sementes,
que morrem para dar a vida…
E como o vento escultura a areia,
a dor modela o nosso coração.

Será que faríamos tudo diferente?
Sem amor a vida é só natureza,
desígnio com promessa de liberdade,
procurando simetria nos afectos,
certezas que a tudo dê um sentido.

13 comentários:

em azul disse...

Começar do zero
Não há certezas... apesar dos afectos

Um abraço
em azul

Anónimo disse...

E é o Amor a dar sentido e vida às tantas mortes que enfrentamos.
Belíssimo!

Beijos, carinho,
AdéliaTheresaCampos

PS: Interessante. Parece até que estivemos juntos nesse domingo.

Mariz disse...

Salvé amigo

Que as tuas sementeiras possam dar flor e fruto e com essa fartura Comemores a tua Páscoa.
Mas como não há fartura que dê em fome também...- contrariando o provérbio - que nesta Páscoa desças ao poço dos Iniciados e fiques por lá até atenderes aos teus medos, ás tuas inseguranças, ás tuas questões(?) - leiam-se incertezas também - mais profundas e depois sim...que te ergas que nem um titan!
é isso que irei fazer...remover as cinzas em mim...para (re)VIVER depois.

Deixo-te até lá..um abraço e um frasquinho de essência de jasmim, para colocares na tua testa com o sinal da cruz a fim dos teus pensamentos conspirarem a teu favor.

Sempre...
ternamente
Mariz

impulsos disse...

Amigo Daniel
A natureza encarrega-se de criar o perfeito e os homens, mediante os seus afectos(ou a falta deles), molda as coisas a seu belo prazer, nem que isso implique o fim do belo...
O belo, esse, encontro-o eu sempre que te venho ler!
Tens sempre uma mensagem nova, importante e que me deixa a pensar...

Beijo grand

Beatriz disse...

Quando olho para trás e vejo a minha trajetória, sei que faria tudo da mesma forma como fiz. De tudo que passei eu sempre consigo tirar o melhor para uma reflexão. Os erros ensinam-me muito, principalmente a não cometê-los duas vezes, e os acertos fazem reflexo nas minhas andanças atuais.

O amor, sempre ele, amigo querido, deve nortear nossos passos.

Fica uma orquídea lilás enfeitanto teu olhar e um beijo meu, com carinho, no teu coração.

vero disse...

Meu amigo,
passei uma vez mais para ler as tuas mágicas palavras :)

E dizer-te que estou feliz, muito feliz... o meu coração transborda felicidade...

Beijinhos e tudo de bom

Ana disse...

Todos aprendemos alguma vez a necessidade da dor. Mas __________ "só o amor justifica a vida".

Que estejas bem , Daniel.
Um beijo com ternura.

Fragmentos Betty Martins disse...

.___________querido Daniel








num caminho já________traçado


.é um trilho a "[per]correr"



______porque da alma o corpo toma a forma_____e a alma é forma_______e compõe o feitio do corpo




______///







beijO_____ternO

Arabica disse...

Caro Daniel,


somos fruto do vento, do sol,
e da determinação que nos guia o olhar, em busca da árvore.


Um beijo e bom fim de semana.

ลndreia disse...

Será mesmo que fazíamos tudo diferente?
Não me parece.*

Miosotis disse...

... como é bom 'ouvir' falar de afectos, numa época em que quase ninguém se atreve a escrever sobre eles... e muito menos a 'senti-los'!

Estes dois versos:
' E como o vento escultura a areia
a dor modela a nosso coração' - intensos de verdade, mas quanto sofrimento!

Um beijo afectuoso,

... lamento ter demorado tanto a visitar-te, mas tenho agora mais tempo para 'estar' com amigos!

Cöllyßry disse...

Uns aprendem e esquecem rápido,
sem amor a vida é deserto árido...

Sempre a vida no Teu poetar, lindo amigo...

Doce beijo

ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë

Porcelain Doll disse...

A dor revela a sabedoria que contemos no nosso coração...

Curioso procurarmos certezas... se elas não existem... ou melhor, existem algumas que podemos encontar quanto mais fundo formos no nosso coração...

Beijinhos!!