25 agosto 2011

Oh, it's raining again...


Não me lembro de um Agosto assim. Podia ser a gosto, mas suspeito que ninguém aprecia a chuva assim, excepto todos aqueles que se sentem confortados com o barulho dela nos vidros... Outra forma de sentir a melancolia daquilo que não se sabe bem, mas que bem sabe, apesar de tudo.

Já passaram pelo drama de ser segundo? O primeiro dos últimos? O que se esquece, pois só dos primeiros reza a história? E quando isso se repete em tudo na vida? No ciclismo há muitos corredores com esse palmarés: segundo eterno... Mas se em cada segundo formos eternos, então temos uma vida preenchida e longa, cheia de histórias de prata...

Há tanta gente que diz uma coisa pensando exactamente no contrário... tal como a raposa: estão verdes... Forma simples de diminuir a sua dissonância cognitiva. Está mal? Não, claro que não, todos o fazemos, mas só alguns têm consciência disso.

Tenho espalhado sementes por campos lavrados, esperando que algo nasça... Hei-de encontrar uma flor, que não colherei, mas cuidarei, para que possa ser a beleza do que ainda não pensei, escrevi ou fiz.

Se eu não existisse, o mundo também não existiria... para mim. Já viram quão importante somos? Para que o mundo exista, cada um de nós tem de existir na diferença, de modo a que possamos saber e sentir que o que pensamos poderá não ser a verdade... mesmo assim.

4 comentários:

Cris disse...

Se não tivesse tido uma insónia, se não tivesse batido a saudade do blog, em pousio, há tanto tempo, vejo agora, se não tivesse clicado nos humores, se... se... e fui me deixando ficar, sequer aborrecida pela ausência do sono.
E já não foi a saudade dum outro "lugarejo" .Foi reencontrar-te!
Dou comigo a pensar na amizade, ainda que assim.
Tanto tempo,é um facto, mas, chegar, a porta aberta, e, eu estar, madrugada fora, a ler-te, a ouvir-te?
Que boa sensação esta!
Gostei de te ver!
Gostei mesmo!
Beijo amigo,

Obrigada, Daniel!

BlueShell disse...

Meu anjo...que saudade!!! Mudaste aqui tanta coisa no blog...mas está perfeito: andei a ver...vi o teu livro; e, neste post, uma flor da qual cuidarás hás-de encontar, por esses campos lavrados...
E sim, precisa-se tolerância para viver em sociedade, limar arestas e saber respeitar a diferença...pois é a diferença que nos caraceriza e nos faz ser únicos.
Fiquei tão feliz com a tua visita...Obrigada. deste Luz ao meu início de dia!
Bj
de Blueshell

BlueShell disse...

Onde foste?
Bj

© Piedade Araújo Sol disse...

gostei do teu texto.

uma boa semana!

um beij