08 maio 2009

A primeira mão

Cumpre-se a mão primeira.
Houve um primeiro dedo
ao longo de cinco tectos…
Curiosidade, brincadeira,
inteligência, alegria e medo,
tudo rodeado de afectos.

Verdades púberes do anelar,
a fuga ao espírito, revolta,
aprender e abraçar a liberdade.
A mudança em parada militar,
os amores galopando à solta,
os sonhos rompendo a eternidade…

Trabalho, família, luta e dores.
Casa, cargos, até ao estudo,
a magia do tempo médio…
A palete ainda cheia de cores,
o quadro de cinema mudo
numa galeria cheia de tédio.

E a transformação começou
no corpo, na alma, no destino…
Fui pai, amante e professor.
Da vontade fiz aquilo que sou:
ser errante, amor procrastino,
a tempestade como indicador…

Termina a era do polegar,
das profundas fracturas,
da morte e do nascimento.
Nunca pensei aqui chegar,
coroado de tantas venturas,
tenho a fé em cada momento.

Segunda mão iniciada.
Desejos, sonhos por cumprir,
terei tempo para acabar?
Imagino o mapa sem estrada,
desfrutando um novo sentir,
até da história me libertar.

22 comentários:

Auréola Branca disse...

"Da vontade fiz aquilo que sou..."

Se eu pudesse voar, e prever um futuro, queria ter somente a certeza de chegar no limite feliz comigo mesma. Do contrário, não faria viagem nenhuma, para não sofrer por antecipação.

Guardo um carinho imenso pela sua poesia. Por vc.

Márcia disse...

...porque nada é previsível. Nem mesmo a vida!

© Piedade Araújo Sol disse...

tudo é sempre uma incognita.

aqui está um poema muito bem rimado e com várias vivências.

muita criatividade!

um beij

Ana disse...

Agora chega a tua mão direita. A que aponta a Luz e te levará a cumprir a tarefa.
Parabéns, Daniel!

Um abraço com amizade.

Porcelain Doll disse...

A chegada por vezes parece-nos impossível de atingir... mas um dia percebemos que não é... e coroados de venturas, temos fé em cada momento...

Sabemos, sentimos que agora sonhos e desejos são finalmente possíveis e a pergunta impõe-se: haverá tempo?... No fundo sabemos... claro que sim... sabemos que seremos libertados... :)

Fabuloso...

Um abraço!

impulsos disse...

Uma história de vida contada na primeira mão.

Este será talvez um dos teus poemas mais emblemáticos e melhor conseguidos.
Parabéns pela originalidade e pela beleza desta obra poética!

Beijo

Arabica disse...

Começar uma nova mão sem pensar no fim, continuando sempre a dar tudo pelo caminho ainda por traçar.

Um beijo, Daniel, boa semana!

CelyLua - O blog das Letras disse...

Querido Daniel,

Vim agradecer sua visita e suas amáveis palavras.
Visitar teu blog é sempre encanto aos meus olhos e mente.
Tenho muito apreço e carinho a tua brilhante inspiração.
Adorei esta preciosidade de poema!
É uma verdade da vida cotidiana descrita com palavras que, desperta o espírito ao encontro do outrora que, envolvem a mente justamente para anular os fatos tristes.
Apresenta também determinações numa plenitude plena. Através das suas palavras, permite revelar sua essência com suavidade, mesmo mostrando fragmentos de sofrimentos. Tu és um Escritor Magnífico, parabéns!
Deus abençoe você infinitamente.
Pra você minha reverencia.
Beijos de poesias, rsrsrs.
Com ternura,
CelyLua, Amiga e fã da tua brilhante inspiração.

Muito obrigada!

Bruxinhachellot disse...

Tranformações são sentidas a cada dia. Sua poesia lembrou-me da ação de um pintor de paredes. Apenas após a segunda mão de tinta que podemos ver os efeitos em nossa vida.

Beijos doces de seu sabor preferido.

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doações para meu projeto da minibiblioteca comunitária e outras atividades para crianças e adolescentes da minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todas as pessoas de bom coração,pode doar de 5,00 a 20,00. Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos. Meu e-mail asilvareis10@gmail.com

mar revolto disse...

Xiiii, esqueci-me do dia 8, mil desculpas e parabéns atrasados.



Terás sempre tempo de acabar e recomeçar.

Beijo grande

Lina

andorinha disse...

Uma primeira mão tão cheia! Que a segunda concretize todos os sonhos.
Um beijo, Daniel.

Fragmentos Betty Martins disse...

._______querido Daniel





no caminho escolhido por ti______vais escrevendo a tua história. na certeza que a puderás alterar sempre que queiras. e como o acaso não existe na vida de ninguém______temos as vitórias e as derrotas que escolhemos em outro tempo que de uma forma natural se funde com o presente____para que assim se faça o aprendizado.o.progresso em termos humanos_____...repetir a "nossa" história - é uma ordem - até que se aprenda. passar para um estadio superior_______é o objectivo




o teu poema_______uma excelente reflexão (como sempre)




_________________///










beijO_____ternO
bFsemana

Micas disse...

E a vida é isso mesmo, um caminho que percorremos, com encruzilhadas, curvas e contra-curvas, pedras e vales, riachos de águas cristalinas e mares revoltos, intensa e acima de tudo para se viver VIVO...
Excelente momento de reflexão e poesia.
Beijinho e bom fim de semana

© Piedade Araújo Sol disse...

venho deixar votos de bom fim de semana.

beij

mundo azul disse...

_________________________________

Um mosaico construído com suas experiências e emoções...


Muito lindo o seu poema!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

Zélia
_________________________________

Mariz disse...

Querido amigo Daniel, Salvé!

És tu que fazes a tua história, por isso es tu que libertas...libertando-a!

Regressei, mas ainda não com tudo passado desta provaçaõ.
Grata por não te esqueceres de me visitares mesmo não podendo retribuir-te.

Espero-te para a festa do 1º aniversário que ficou adiada.
Fica com o meu abraço carinhoso
Sempre...
MAriz

ESPAVO!

vero disse...

Olá meu amigo, como estás? Tenho andado um pouco ausente mas felizmente a passar uma fase muito feliz na minha vida :)

O mês que vem sairá o meu segundo livro, desta vez o romance que já vos tinha falado. Como ainda não sei como irá ficar a capa, a editora está a tratar dos procedimentos necessários mas assim que estiver tudo pronto enviarei convite para a sessão de lançamento cá em Leiria dia 6 junho

Beijinhos

Mariz disse...

Amigo querido, salvé!

Vinha questionar-te a respeito da Beatriz?! Sabes o que aconteceu? Ando a visitar os comentadores e amigos que me deixaram tão belas palavras e ela nao tinha nada no blog a não ser um pequeno texto a lilás...sendo que o fundo é preto...nada mais se vê lá..nem um rasto...
Fiquei angustiada...não sei.
Dediquei-le a música que serve de fundo ao post e o ultimo parágrafo do mesmo.
Diz-me algo se souberes.

Agora gostaria que me ensinasses uma coisa.
Como se faz, para, ao passar um vídeo do "you tube" para o blog ele comece a tocar imediatamente? é que eu já tentei copiar onde dia "embed" mas depois, tenho sempre de carregar na setinha para ouvir...
há algum truque?

UM beijo meu e um ramo de alecrim que colhi no meu mini jardim.
Recebeste algo meu por outra via?
Não te atrases para festa....vá lá...

MAriz

Cöllyßry disse...

As vidas do Ser, às vezes em memoria dormente outras tão vivas, no renascer...

Doce beijo

Cöllybry disse...

|)’’()
| Ö,)
|),”
|Estive aqui_____----Terno beijo


ölhår_Îñðîscrëtö...Å ¢µ®¡ö§¡dädë

*Cöllyßry

Non disse...

Nem sei há quanto tempo não passava aqui.

Falha e prejuízo meus.

Foi o prazer do costume. :)