27 junho 2011

Linha do tempo


Sou uma história mal contada.
Quem me lê, imagina, faz-me a figura.
Sou uma bomba não deflagrada.
Incompleta está… a partitura.

De muito trabalho incansável,
procuro voltar a Veneza
para sentir quão agradável
é atravessar… na incerteza.

Já vi, vivi outro lado,
arrumo o passado na estante.
Evoluo para um novo estado
e antevejo o que está por diante…

3 comentários:

Ana disse...

Guarda o passado, vive o presente. É isso que é evoluir !
Um beijo grande, querido Daniel.
Ana
ps. Gostei de finalmente te ver :-)

© Piedade Araújo Sol disse...

que poema tão bonito com uma imagem de Veneza a acompanhar.

gostei!

beij

Mel de Carvalho disse...

De águas e de gôndolas se faz caminho. E a vida se perpétua além daquilo que somos parcelarmente.

Gostei muito, Daniel.
Boas férias
Mel