10 janeiro 2012

Sete anos


Tudo começou na solidão familiar
Num processo de auto-motivação
Num desejo de amar e ser amado
Nas fantasias de um corpo insaciado
De uma mente sem desafios
De uma alma atribulada.

Um novo mundo desconhecido
De pessoas lindas e de escritas
Algumas com vidas complicadas
Ou procurando aventura
No silêncio da noite
Na esperança dos dias.

O Humores foi o primeiro
Da minha explosão criativa
Em esquizofrenia sentimental
Criando o cenário da verdade
Que sabia ser a mentira
Em que vivia há muito tempo.

E tudo aconteceu
Num rodopio de dramas virtuais
De enlaces e desenlaces
Culminando numa nova paixão
Que não passou pela internet
Mas que resultou de eu estar aqui.

[aproveito para prestar a minha homenagem a todos aqueles
que me têm honrado com as suas visitas, leituras, comentários e amizade]

3 comentários:

Mel de Carvalho disse...

Daniel,
que te dizer? Que tive o prazer, quase desde o início, conhecer a tua escrita, ser tua leitora. Que, não obstante não comentar muito, ando sempre por aqui, e, que de alguma forma, te considero entre os meus amigos - aliás, já publicámos juntos numa Antologia e isso é, aos meus olhos, um laço importante entre os que amam as letras. Obrigada, Daniel.

Parabéns, e muitos mais anos de escrita e partilha.

Fraterno abraço
Mel

Chellot disse...

Um novo mundo desconhecido descortina-se em poesia.
Beijos doces.

© Piedade Araújo Sol disse...

quase uma confissão...