11 janeiro 2013

Sem mentira


Soturnas vozes ecoam em mim,
porque o destino me atraiçoa
e eu quero somente partir…
Sufoco num país sem fim,
no meio de organizações à toa,
que só protelam o seu porvir.

Luto como sempre lutei,
por tudo o que quero conquistar,
e estou cansado de tanta refrega…
Valeu a pena tanto que dei,
não me arrependo de tanto amar,
porque sou feliz em cada entrega…

Enquanto espero o teu sinal,
tento manter vivo o coração
para que não se apague de vez.
Que terei feito de tanto mal
para sofrer tanta incompreensão...
O que em mim afinal tu vês?

7 comentários:

fairy_morgaine disse...

Poderia enumerar algumas coisas que todos vemos em ti, a beleza da tua alma e o teu talento, Daniel :)
Beijos muitos

Ana disse...

Concordo com a fairy_morgaine ...
e acrescento ainda uma sensibilidade invulgar !
Um beijo, Daniel *

© Piedade Araújo Sol disse...

nas tuas palavras, sentimos a ternura e a sensibilidade, e isso já é muito.
boa semana.
um beijo

Anónimo disse...

Vejo um homem sofrido que sofre por amor.

"Sofria por amor sentindo a dor"

in Na Curva do Destino de Flor de Alvarado.
Sugestão de leitura.
Uma escrita doce, serena, que envolve todos os sentidos.

voo da alma disse...

Como eu o entendo!
Eu que Nunca Menti!
Abraço Amigo.

© Piedade Araújo Sol disse...

deixo votos de bom final de semana.
beijo

Anónimo disse...

" Talvez veja o que nunca conseguiu dizer; talvez veja o que nunca conseguiu sentir; talvez veja o impossível vestido de homem; talvez seja a pessoa que nunca conseguirá ver para além do que vive; talvez sejam 2 numeros que não se completem......"