28 dezembro 2012

Ser Eu


A amargura tornou-se pele
Veste-me quando te olho
E não me protege de nada.

Sei que o fado se repete
Que a liberdade não é feliz
E o assombro é redundante.

Os maus desejos não implicam
Consequências na minha alma
Que só chora e acredita…

O mal disfarçado de bem
Egoísmo, inveja, sofrimento
Eu espero a libertação!

5 comentários:

Hanaé Pais disse...

Daniel, a Liberdade não é Feliz?
Mas existe algo mais Feliz do que a Liberdade?
Está equivocado!
A Liberdade é muito Feliz!
E calma, acredite que a sua Libertação vem a caminho!
Ano Novo e uma Vida Nova!

'entre vírgulas' disse...

A liberdade é assustadora quando não sabemos o que fazer com ela.

A poesia é sempre certa, porque sem propósito algum.

(Adorei o poema!)

Ana disse...

A angústia feita poema !

Que sejam palavras , nada mais que palavras! A Vida espera por ti e a Liberdade é a forma de seres TU !
Um beijo grande, Daniel *

© Piedade Araújo Sol disse...

um certo desalento.
a libertação por vezes não existe.
um poema bem conseguido!
beijo

:)

Anónimo disse...

" não deixe que o fado se repita...não acredite no bem que cobre egoísmo. A liberdade é essa....virar as costas ao bem disfarçado e procurar nesta terra onde habitamos, pessoas nuas de disfarces."