07 março 2011

Ascensão

Foto de José de Almeida



Foi de lábios apertados,
que cortei com o olhar
o teu corpo de maçã.
E vi de olhos fechados,
com o espírito a voar,
que acabaria no divã.

O sexo e a natureza,
fecundos primaveris
de vidas alternantes.
Quisera ter a certeza,
que fora tudo o que quis,
e nada seja como dantes.

Ouço o destino sorrir,
entre cheiros e sabores
de suores e criação.
Não é tempo de partir,
por amor dos meus amores,
vou-me afastando do chão.

8 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

sensual q.b.

gostei!

beij

Ana disse...

É o tempo de renascer . É o tempo de sorrir .
Um beijo, querido Daniel *

Lylia disse...

E amanhã o sol voltará a nascer.

um beijo doce , querido Daniel

Blue_Ocean disse...

As tuas palavras têm "pura magia"...amei...
Obrigada...e beijinho para ti...
Marta M.

Anjo De Cor disse...

Excelente, assi como o comentário que deixas-te no meu blog, és um homem de palavras sábias ;)
Bjs Daniel

BlueShell disse...

Por ezes temos de dar tempo ao Destino para que este nos possa sorrir...acho!!!
beijo terno para ti, de mim.

Cata- Vento disse...

Lindíssimo poema! Do poder encantatório da poesia e da força arrebatadora do poeta resultou uma composição que faz estremecer o leitor.

Bem-haja, Daniel!

Abraço fraterno

Esyath disse...

Oi Daniel,

tudo bem? Bem... o amor sempre nos empurra para cima e nos distancia do chão... é impressionante como mesmo com o coração tão pesado de paixão e amor conseguimos levitar...
Gostei bastante dos versos.

Beijos (Des)conexos!