03 outubro 2012

Não falar de amor


Não vamos falar de amor.
Na casa de todos os medos,
decepções e grande descrença,
existem brasas ainda com calor,
água que corre entre penedos
e uma bondade que é imensa…

Pensas, mas nada está perdido.
Sonhas, mas não é realidade.
Deixa a alma encontrar o caminho,
e quando tudo já fizer sentido,
então abraça a felicidade
e contrói o novo devagarinho.

Colocadas as pedras do alicerce,
queres as paredes levantar
para juntos fazermos o telhado?
Materializa-se a nossa prece,
para que pudéssemos encontrar
o outro que estará ao nosso lado.

Sei que na pele nos aceitamos
e que podemos ficar perto do céu,
se não acreditarmos na dor...
Sabemos bem para onde vamos,
que queremos levantar o véu,
mas não vamos falar de amor.

1 comentário:

© Piedade Araújo Sol disse...

de uma maneira diferente, este é um poema de amor, embora o autor não queira falar(dele).

um beij