17 fevereiro 2013

Náufrago




Naufrágio. Perto da ilha…
As rochas submersas destruiram-me a quilha.
E arranjei um mundo só para mim.

Batido pelas ondas do mar,
chorei tudo para não sufocar,
e pensei que poderia ter um jardim.

As estações do ano passam sem medo,
e em cada praia eu procuro o segredo
de ser feliz por estar certo.

Que importa falar e ser como sou?
Que importa saber para onde vou,
se naufrago quando estou perto?

5 comentários:

Ana disse...

Importante é tentar. Importante é sentir !
Um beijo, Daniel *

Esyath disse...

No fundo estamos sempre buscando respostas e quando a vida parece nos guiar para o rumo certo... cabum, o navio explode e para não nos afogarmos, nadamos de volta para a ilha isolada na qual estávamos...
Uma vez li que o verdadeiro gênio sabe a resposta antes da pergunta. Sei que não somos gênios, e sim, meros mortais. Mas o que acho que isso quer dizer, é temos que saber a pergunta correta, e se soubermos, saberemos as respostas. Acho que por isso nadamos e quando chegamos perto, algo nos puxa para mais longe ainda... porque gastamos mais tempo querendo respostas imediatas, fórmulas mágicas, do que nos empenhando em descobrir o que realmente queremos saber... em lutar para criar oportunidades reais para que as respostas cheguem...

Gostei muito dos versos!

Beijos (Des)conexos!
www.historiasdesconexas.blogspot.com

© Piedade Araújo Sol disse...

que importa?

cada pessoa é como é, e no fundo todos nós somos um pouco desse naufrago de que falas.

beijo

:)

Maré Viva disse...

Cada verso teu se veste de sensibilidade e revela que serás sempre um sobrevivente, não obstante os naufrágios a que fores sujeito!

Um abraço, obrigada pela visita e pelas palavras.

Magui disse...

Está provado :O pessimismo dá cancer.